16/11/2019

Internet Contribui Para Bullying

A internet contribui para o aumento da prática de bullying. Lidar com o bullying e a agressividade que existem na internet pode aumentar o sofrimento dos jovens, especialmente daqueles que estão conectados o tempo todo. A vítima pode ser perseguida por diversos motivos: aparência, timidez, dificuldade de fazer amigos, entre outros. As agressões que são vividas no dia a dia [fora da internet] são potencializadas na rede, pois é muito mais fácil agredir por um celular ou computador.

O bullying é um problema mundial, onde a agressão física ou moral repetitiva deixam marcas para o resto das vidas. No mundo real, o bullying pode ser verbal e também com agressões físicas. No cyberbullying, as agressões são baseadas em ameaças, deboches e invasões de privacidade. Esse tormento permanente que a internet provoca faz com que a criança ou o adolescente humilhado não se sintam mais seguros em lugar algum, em momento algum. Na comparação com o bullying tradicional, bastava sair da escola e estar com os amigos de verdade para se sentir seguro. Agora, com sua intimidade invadida, todos podem ver os xingamentos e não existe fim de semana ou férias.

Para se ter uma ideia do tamanho do problema, uma pesquisa comandada por especialistas das universidades britânicas de Sheffield e Nottingham mostra que 80% dos entrevistados passaram por, pelo menos, uma situação constrangedora de cyberbullying no trabalho.

Mas o alto índice de pessoas atingidas por essa prática não é uma exclusividade de países que já convivem com a tecnologia há mais tempo. No Brasil, um em cada cinco adolescentes pratica bullying, segundo dados do IBGE apurados em 2012. Outra pesquisa, realizada pela ONG Plan Brasil em 2010, mostrou que 10% dos alunos de escolas públicas e particulares disseram ter sofrido com o bullying.

 

Diante desse cenário, sugiro que os jovens que sofrem bullying virtual procurem ajuda e não lidem com o sofrimento sozinhos. Durante e depois de sofrer bullying, a pessoa precisa do apoio da família e dos amigos. Além disso, deve buscar um especialista que oriente e ajude a enfrentar as questões emocionais.

Todos nós temos responsabilidade pelo bullying e pelo cyberbullying, a partir do momento que julgamos o outro, expomos nossas opiniões de maneira pejorativa, desrespeitamos o jeito de ser das outras pessoas. Por isso, o problema só será solucionado quando mudarmos a postura. O fato que anda preocupando demais é o aumento considerável de adolescentes que passam por esse tipo de situação, abrindo assim um leque de discussões sobre ansiedade, depressão, suicídios entre jovens. Precisamos falar sobre esse assunto e dizer as pessoas que se você passa por alguma situação desta você deve denunciar, procurar a polícia pois isto é um crime de injúria, infâmia e calúnia. Algumas regiões têm delegacias especializadas em crimes cibernéticos.

                                                                                                                                

Nome: Vanessa Toledo Real Martelli
Orientadora: Vanessa Toledo Real Martelli
Curso: Informática

Euro Anglo Unidade Sorocaba - SP