20/05/2020

A importância da formação profissional para ingresso no mercado de trabalho

O presente trabalho, dentre as diversas modalidades de formação intelectual, tais como educação básica, graduação etc., busca abordar a importância dos cursos profissionalizantes, estes possuem diversas vantagens e servem com porta de entrada para o mercado de trabalho.

Cumpre destacar que qualificação profissional consiste na preparação do cidadão através de uma formação profissional para que ele ou ela possa aprimorar suas habilidades para executar funções específicas demandadas pelo mercado de trabalho em meio à sociedade.

A educação profissional no Brasil tem várias experiências registradas na história, nos anos de 1800 com a adoção do modelo de aprendizagem dos ofícios manufatureiros que se buscou o “amparo” das camadas menos privilegiadas da sociedade brasileira. As crianças e os jovens eram encaminhados para casas onde, além da instrução primária, aprendiam ofícios de tipografia, encadernação, alfaiataria, tornearia, carpintaria, sapataria, entre outros.

Um importante marco histórico acerca da criação e estruturação dos cursos profissionalizantes no Brasil está no período no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961) traz a marca do aprofundamento da relação entre Estado e economia. Neste período, a indústria automobilística surge como o grande ícone da consolidação da indústria nacional. O Plano de Metas do Governo JK, eram em cinco anos buscar investimentos maciços nas áreas de infraestrutura, tais como energia, saúde, indústria, construção civil etc e diante o tal quadro necessitou-se de mão de obra especializada surgindo os cursos profissionalizantes na formatação como conhecemos hoje. 

Para corroborar a importância da formação profissional nos dias atuais, devemos considerar a taxa de desemprego, que em nosso país, que teve uma leve redução no trimestre encerrado em julho de 2019, passando de 12,5% da população economicamente ativa (PEA) entre fevereiro e abril para 11,8%, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em agosto de 2019.

Ainda nesse sentido, o total de desempregados foi de 12,6 milhões de pessoas no trimestre encerrado em julho, o que representa uma queda de 4,6% em relação ao trimestre anterior.

A informação acima revela dois importantes fatores, primeiro quem possui preparação profissional se encontra pronto para buscar uma vaga no mercado diante a leve melhora e diante o alto número de desempregados em nosso país a preparação é um diferencial.

Cumpre destacar ainda, diante o avanço da tecnologia, encontrar um profissional qualificado tem sido um dos grandes desafios das empresas.

 Segundo pesquisa realizada pela Robert Half (Fundada em 1948, a Robert Half foi à primeira empresa de recrutamento especializado a oferecer profissionais qualificados para a área financeira), para 81% dos recrutadores, há falta de mão de obra capacitada. Esta informação é um tanto quanto assustadora, vez que informa que a cada dez recrutadores, apenas dois encontram profissionais qualificados.

Preocupante ainda, um estudo recente do Banco Mundial aponta que 50% dos jovens brasileiros estão em risco de desengajamento econômico, ou seja, em risco de não ingressar no mercado de trabalho, por falta de capacitação profissional.

Alarmante ainda, a pesquisa que revela que o Brasil é o segundo país do mundo com maior dificuldade para contratação de profissionais qualificados, atrás somente do Japão, conforme revela a oitava Pesquisa Anual sobre Escassez de Talentos realizada pelo ManpowerGroup, empresa líder mundial em soluções de gestão e recrutamento.

Diante todo o informado, a busca por um curso profissionalizante se torna excelente opção para o jovem ou mesmo um profissional experiente que deseja regressar no mercado de trabalho considerando os seguintes fatores: 1 – O alto número de pessoas desempregadas; 2- A escassez de profissionais qualificados; 3 – O curto tempo do curso e 4 – o baixo custo de investimento, tendo em vista que os cursos profissionalizantes possuem mensalidades acessíveis.

REFERENCIA:

BRASIL, Ministério da Educação, Centenário da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, 2010.  Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/centenario/historico_educacao_profissional.pdf acesso em: 01 de outubro 2019.

METRO JORNAL, Emprego: Para 81% dos Recrutadores, falta mão de obra qualificada, 2019.  Disponível em:   https://www.metrojornal.com.br/foco/2019/06/17/emprego-para-81-dos-recrutadores-falta-mao-de-obra-qualificada.html  acesso em: 01 de outubro 2019.

CORREIO BRAZILIENSE, Taxa de emprego volta a cair, mas desemprego atinge 12,6 milhões de brasileiros.  Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/economia/2019/08/30/internas_economia,779944/taxa-volta-a-cair-mas-desemprego-atinge-12-6-milhoes-de-brasileiros.shtml  acesso em: 01 de outubro 2019.

Orientador: Professor, Dr. Alessandro Dossi
Turma: Gestão Jurídica

Euro Anglo Unidade Piracicaba - SP