07/11/2019

Quem ama protege. Quem protege vacina!

A vacinação é algo muito comentado e discutido entre as pessoas na vida cotidiana, mas poucos sabem da importância que ela tem para os cães e gatos e seus próprios donos.  A vacina protege de doenças infecciosas por vírus, bactérias, ou outros microrganismos. É importante que as vacinas estejam em dia (adequadas), é um ato de cuidado e amor com o animal, além de proporcionar saúde, bem-estar e qualidade de vida ao animal e a quem, convive com ele.

Cães: As principais vacinas em cães são a V8 e a V10, previne das doenças: cinomose , hepatite infecciosa canina, parvovirose, leptospirose, adenovirose, coronavirose e parainfluenza canina. A principal diferença entre elas é que a V10 protege de mais variações da leptospirose.

Em filhotes saudáveis a primeira dose da vacina deve ser feita com 45 dias de vida, a segunda e a terceira são realizadas com o intervalo de 30 dias cada, a partir da primeira dose (75 e 105 dias). Depois de realizado o reforço tem que ser feito anualmente.

Gatos: As principais vacinas em gatos são a V3, V4 e V5. Essas vacinas protegem das doenças: rinotraqueíte, calicivirose e panleucopenia, a V4 adicionando a proteção de clamidiose e a V5 adicionando a proteção do vírus da leucemia felina. A primeira dose deverá ser quando o gato tiver aproximadamente 8 semanas, a segunda 12 semanas e terceira 16 semanas. A vacina deve ser reforçada anualmente.

 A Vacina antirrábica deve ser aplicado em cães e gatos a partir da última dose das vacinas acima. Única forma de prevenção da doença: a raiva. Essa doença é uma zoonose e, portanto, também pode afetar os seres humanos. Deve ser administrada anualmente.

Vacinas Opcionais (não menos importantes)

Vacina prevenção Giárdia:  apesar de não ser essencial como a V8, V10 e antirrábica, a vacina de giárdia pode ser dada com indicação do médico veterinário. É importante saber que o animal não pode estar com a doença, pois pode ser extremamente prejudicial se for dada a vacina. Essa vacina é indicada para animais que tem convivo com outros animais, como: creches, hotéis, animais que saem muito na rua (fugas, ou passeios inadequados). Essa doença também pode ser transmitida para o homem, então é bom ter bastante cuidado pois pode ser transmitida por água e alimentação (é mais susceptíveis em ambientes com saneamento básico precário). A vacina contra giardíase deve ser aplicada em cães a partir de 8 semanas de idade com duas doses com intervalo de 21 a 28 dias. Os cães adultos que nunca foram vacinados contra a giardíase deverão receber 2 doses da vacina. A proteção se dará após 15 dias da 2ª dose da vacina. O reforço é anual com apenas 1 dose.

Vacina prevenção de leishmaniose:  interior de São Paulo, nordeste e centro oeste do Brasil (áreas Endêmicas) corre mais risco de pegar a doença. A doença é uma infecção parasitária que prejudica o sistema imunológico e ocorre em dois tipos: cutâneo e visceral, sendo o último mais frequente nos cachorros. A leishmaniose é uma zoonose que pode ser letal e é transmitida dos cachorros (hospedeiros) para humanos com a ajuda de um mosquito, o vetor da doença. A vacina é uma forma de prevenir. deve ser aplicada em cães a partir de 4 meses de idade, saudáveis e soronegativos para Leishmaniose Visceral Canina. O protocolo completo deve ser feito com 3 doses, respeitando o intervalo de 21 dias entre cada dose (aplicação). A revacinação é anual, contada a partir da 1ª Dose.

Vacina prevenção Tosse Canis: Altamente contagiosa (causada pela bactéria Bordetella bronchiseptica) . A doença tem maior incidência no inverno e em climas frios. Os sintomas são bem parecidos com os da gripe humana: tosse, espirros, secreção saindo pelo nariz e boca, falta de apetite e o tratamento normalmente é bem-sucedido. Os humanos podem ser infectados, caso estes estejam imunossuprimidos. A vacina para tosse dos canis é opcional, é para cachorros que vivem com outros cães, que frequentam petshops, hospedagens, exposições ou provas esportivas.  a partir de 8 semanas de idade, repetindo uma 2ª dose com intervalo de 2 a 4 semanas. A imunidade se inicia 21 dias após a administração da segunda dose. Recomenda-se a revacinação anual, em dose única.

Aluna: Kauany Borborema Conceição

Euro Anglo Unidade Ribeirão Preto - SP